Cuidar da Agua, Cuidar da Terra, Cuidar dos Seres

CUIDAR DAS ÁGUAS, CUIDAR DA TERRA, CUIDAR DOS SERES

(*) Adm. Volnei Alves Corrêa

            Vou iniciar este texto citando a fábula do Cuidado conservada por Caio Júlio Higino, filósofo e escritor da Roma Antiga (1).

            ¨Certo dia, Cuidado, passeando nas margens do rio, tomou um pedaço de barro e o moldou na forma de um ser humano. Nisso apareceu Júpiter e, a pedido e Cuidado, insuflou, naquela matéria, o espírito. Cuidado quis dar-lhe um nome, mas Júpiter lhe proibiu, querendo ele impor o nome. Começou uma discussão entre ambos.

            Nisso apareceu a Terra, alegando que o barro era parte de seu corpo e que, por isso, tinha o direito de escolher um nome. Gerou-se uma discussão generalizada e sem solução.

            Então todos aceitaram chamar Saturno, o velho deus ancestral, senhor do tempo, para ser o árbitro. Este deu a seguinte sentença, considerada, por todos, justa.

            Você, Júpiter, deu-lhe o espirito, receberá o espírito de volta quando esta criatura morrer. Você, Terra, forneceu-lhe o corpo, receberá o corpo de volta quando esta criatura morrer. E você, Cuidado, que foi o primeiro a moldar a criatura, acompanhá-la-á por todo o tempo em que ela viver.

            E como vocês não chegaram a nenhum consenso sobre o nome, decido eu: chamar-se-á HOMEM, que vem de HÚMUS, que significa terra fértil. ¨

            Qual a grande mensagem desta fábula? Ela simplesmente nos diz que o Ser Humano é um dos seres mais frágeis do Planeta. Que ele precisa de cuidados desde o momento em que nasce até o momento em que irá morrer. Apesar desta sua fragilidade, ou talvez consequência dela, ele tem sido o maior predador entre os seres vivos que existem ou já existiram sobre a terra.

            Estamos, há algum tempo, tendo uma grande falta de Cuidado com a Natureza, se é que algum dia o tivemos, e, também, com os recursos por ela gerados. Estamos desperdiçando em demasia. Nos comportamos como se os bens existentes fossem inesgotáveis e seu estoque interminável. O tamanho de nosso Planeta é de 12.742 km, relativamente pequeno, e comparado com outros planetas, mas, utilizamos a matéria prima nele existente, como se fosse infinita.

 O uso da tecnociência, que tanto benefícios poderia nos trazer, tem se focado, principalmente, na criação de armas de destruição em massa e de devastação da biosfera. Este uso indiscriminado, tem servindo, principalmente para reduzir, cada vez mais, as possibilidades de sobrevivência da espécie humana.

            Nas palavras de Leonardo Boff (2), ou cuidamos ou pereceremos. Temos que cuidar, prevenindo os danos futuros ao mesmo tempo em que procuramos regenerar os danos do passado. É com cuidado que poderemos proteger a vida, zelar pelas condições físico-químicas, ecológicas, sociais e espirituais que permitem a reprodução da vida e sua ulterior evolução.

            Novamente me referindo a Leonardo Boff, ele foi muito feliz ao dizer que a correspondência ao CUIDADO, em termos ecológicos-político, é a SUSTENTABILIDADE.

            Sustentabilidade, um outro termo bastante utilizado nos tempos atuais, mas, que já vem sofrendo o desgaste pela sua aplicação indiscriminada, muitas vezes sem a clara compreensão do seu correto significado.

            Etimologicamente, a palavra sustentável (3) tem origem no latim “sustentare”, cujo significado é sustentar, apoiar e conservar. Por consequente, as ações mais utilizadas, em nossos dias, estão normalmente relacionadas com uma mentalidade, atitudeouestratégiado que sejaecologicamente correto, daquilo que é viável no âmbito econômico, ou seja, aceito como socialmente justo e atendendo a uma diversificação cultural.

            O conceito de Cuidado, está diretamente relacionado a idéia de sustentar, apoiar, conservar. Cuidar, sustentando ações que visem a preservação do Planeta, reduzindo as agressões inúteis e predatórias. Cuidar, apoiando todos os movimentos que procuram dar melhores condições de vida para todos os seres vivos. Cuidar, conservando os recursos naturais, procurando recuperar aquilo que já foi devastado. Para que isto aconteça, entretanto, devemos criar uma nova mentalidade, mudando nossas atitudes e definindo estratégias que sejam ecologicamente corretas.

            Dentro do processo de cuidar, pode-se, sem problema algum, adotar uma combinação de fatores que propiciem ao ser humano as condições para enfrentar e superar problemas e adversidades. Este seria o conceito de Resiliência, que proveniente do Latim – resiliens, significa voltar ao estado normal.

            Assim, a resiliência urbana seria a capacidade de indivíduos, comunidades, instituições, empresas e sistemas dentro de uma cidade sobreviverem, se adaptarem e crescerem, independente dos tipos de estresses crônicos e choques agudos que vivenciam. (4)

As pessoas, principalmente aquelas que trabalham nas organizações públicas, deveriam ter um grande equilíbrio emocional, principalmente, para saber lidar com os problemas, quando as situações não ocorrem como elas esperavam. Além disso, a resiliência diz respeito à capacidade de tomar medidas que minimizam os problemas que surgem a todo momento.

            Concluindo, gostaria de enfatizar que as pessoas muitas vezes esquecem que nosso corpo tem mais de 60% em sua composição de água. Cerca de 71% da superfície da Terra é coberta por água em estado líquido, que aparece nos rios, nos arroios, nos lagos e nas represas, infiltrada nos espaços do solo e das rochas, nas nuvens e, em todos os seres vivos. Apesar deste conhecimento, o que estamos fazendo com a Água? O que estamos fazendo com o Solo? O que estamos fazendo com o Ar?

            Cuidar das Águas, Cuidar da Terra, Cuidar dos Seres, é um processo contínuo, onde cada um de nós deveria se integrar ao todo para tornar este Planeta um lugar ideal para se viver. Somos Água, Somos Terras, somos Ar, somos Vida, vamos deixar o egoísmo de lado e, solidariamente, e com muita humildade, cuidarmos deste lindo Planeta que nos acolhe, alimenta e protege.

Citações

  1. Wikipédia
  2. BOFF, LEONARDO – Ética e Moral a base dos fundamentos. Editora Vozes, 2ª edição, Petrópolis, 2004
  3. Pesquisa na internet em 03/12/15.  http://www.significados.com.br/sustentabilidade /
  4. 100resilientcities  http://portoalegreresiliente.org/o-que-e-resiliencia/

(*) Bacharel em Economia pela Universidade de Cruz Alta, RS; Bacharel em Administração Pública e de Empresas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Mestrado em Administração pela Universidade de Syracuse, New York, USA; Mestrado em Auditoria e Gestão Ambiental pela Universidad de Leon, Madrid, Espanha; Professor Universitário; Consultor Organizacional. Ambientalista. Presidente do Instituto de Sustentabilidade e Resiliência.

E-mail: volneic@terra.com.br;

Facebook: http://facebook.com/volnei.alvescorrea;

twitter: @VACORREA41

CUIDAR DAS ÁGUAS, CUIDAR DA TERRA, CUIDAR DOS SERES

(*) Adm. Volnei Alves Corrêa

            Vou iniciar este texto citando a fábula do Cuidado conservada por Caio Júlio Higino, filósofo e escritor da Roma Antiga (1).

            ¨Certo dia, Cuidado, passeando nas margens do rio, tomou um pedaço de barro e o moldou na forma de um ser humano. Nisso apareceu Júpiter e, a pedido e Cuidado, insuflou, naquela matéria, o espírito. Cuidado quis dar-lhe um nome, mas Júpiter lhe proibiu, querendo ele impor o nome. Começou uma discussão entre ambos.

            Nisso apareceu a Terra, alegando que o barro era parte de seu corpo e que, por isso, tinha o direito de escolher um nome. Gerou-se uma discussão generalizada e sem solução.

            Então todos aceitaram chamar Saturno, o velho deus ancestral, senhor do tempo, para ser o árbitro. Este deu a seguinte sentença, considerada, por todos, justa.

            Você, Júpiter, deu-lhe o espirito, receberá o espírito de volta quando esta criatura morrer. Você, Terra, forneceu-lhe o corpo, receberá o corpo de volta quando esta criatura morrer. E você, Cuidado, que foi o primeiro a moldar a criatura, acompanhá-la-á por todo o tempo em que ela viver.

            E como vocês não chegaram a nenhum consenso sobre o nome, decido eu: chamar-se-á HOMEM, que vem de HÚMUS, que significa terra fértil. ¨

            Qual a grande mensagem desta fábula? Ela simplesmente nos diz que o Ser Humano é um dos seres mais frágeis do Planeta. Que ele precisa de cuidados desde o momento em que nasce até o momento em que irá morrer. Apesar desta sua fragilidade, ou talvez consequência dela, ele tem sido o maior predador entre os seres vivos que existem ou já existiram sobre a terra.

            Estamos, há algum tempo, tendo uma grande falta de Cuidado com a Natureza, se é que algum dia o tivemos, e, também, com os recursos por ela gerados. Estamos desperdiçando em demasia. Nos comportamos como se os bens existentes fossem inesgotáveis e seu estoque interminável. O tamanho de nosso Planeta é de 12.742 km, relativamente pequeno, e comparado com outros planetas, mas, utilizamos a matéria prima nele existente, como se fosse infinita.

 O uso da tecnociência, que tanto benefícios poderia nos trazer, tem se focado, principalmente, na criação de armas de destruição em massa e de devastação da biosfera. Este uso indiscriminado, tem servindo, principalmente para reduzir, cada vez mais, as possibilidades de sobrevivência da espécie humana.

            Nas palavras de Leonardo Boff (2), ou cuidamos ou pereceremos. Temos que cuidar, prevenindo os danos futuros ao mesmo tempo em que procuramos regenerar os danos do passado. É com cuidado que poderemos proteger a vida, zelar pelas condições físico-químicas, ecológicas, sociais e espirituais que permitem a reprodução da vida e sua ulterior evolução.

            Novamente me referindo a Leonardo Boff, ele foi muito feliz ao dizer que a correspondência ao CUIDADO, em termos ecológicos-político, é a SUSTENTABILIDADE.

            Sustentabilidade, um outro termo bastante utilizado nos tempos atuais, mas, que já vem sofrendo o desgaste pela sua aplicação indiscriminada, muitas vezes sem a clara compreensão do seu correto significado.

            Etimologicamente, a palavra sustentável (3) tem origem no latim “sustentare”, cujo significado é sustentar, apoiar e conservar. Por consequente, as ações mais utilizadas, em nossos dias, estão normalmente relacionadas com uma mentalidade, atitudeouestratégiado que sejaecologicamente correto, daquilo que é viável no âmbito econômico, ou seja, aceito como socialmente justo e atendendo a uma diversificação cultural.

            O conceito de Cuidado, está diretamente relacionado a idéia de sustentar, apoiar, conservar. Cuidar, sustentando ações que visem a preservação do Planeta, reduzindo as agressões inúteis e predatórias. Cuidar, apoiando todos os movimentos que procuram dar melhores condições de vida para todos os seres vivos. Cuidar, conservando os recursos naturais, procurando recuperar aquilo que já foi devastado. Para que isto aconteça, entretanto, devemos criar uma nova mentalidade, mudando nossas atitudes e definindo estratégias que sejam ecologicamente corretas.

            Dentro do processo de cuidar, pode-se, sem problema algum, adotar uma combinação de fatores que propiciem ao ser humano as condições para enfrentar e superar problemas e adversidades. Este seria o conceito de Resiliência, que proveniente do Latim – resiliens, significa voltar ao estado normal.

            Assim, a resiliência urbana seria a capacidade de indivíduos, comunidades, instituições, empresas e sistemas dentro de uma cidade sobreviverem, se adaptarem e crescerem, independente dos tipos de estresses crônicos e choques agudos que vivenciam. (4)

As pessoas, principalmente aquelas que trabalham nas organizações públicas, deveriam ter um grande equilíbrio emocional, principalmente, para saber lidar com os problemas, quando as situações não ocorrem como elas esperavam. Além disso, a resiliência diz respeito à capacidade de tomar medidas que minimizam os problemas que surgem a todo momento.

            Concluindo, gostaria de enfatizar que as pessoas muitas vezes esquecem que nosso corpo tem mais de 60% em sua composição de água. Cerca de 71% da superfície da Terra é coberta por água em estado líquido, que aparece nos rios, nos arroios, nos lagos e nas represas, infiltrada nos espaços do solo e das rochas, nas nuvens e, em todos os seres vivos. Apesar deste conhecimento, o que estamos fazendo com a Água? O que estamos fazendo com o Solo? O que estamos fazendo com o Ar?

            Cuidar das Águas, Cuidar da Terra, Cuidar dos Seres, é um processo contínuo, onde cada um de nós deveria se integrar ao todo para tornar este Planeta um lugar ideal para se viver. Somos Água, Somos Terras, somos Ar, somos Vida, vamos deixar o egoísmo de lado e, solidariamente, e com muita humildade, cuidarmos deste lindo Planeta que nos acolhe, alimenta e protege.

Citações

  1. Wikipédia
  2. BOFF, LEONARDO – Ética e Moral a base dos fundamentos. Editora Vozes, 2ª edição, Petrópolis, 2004
  3. Pesquisa na internet em 03/12/15.  http://www.significados.com.br/sustentabilidade /
  4. 100resilientcities  http://portoalegreresiliente.org/o-que-e-resiliencia/

(*) Bacharel em Economia pela Universidade de Cruz Alta, RS; Bacharel em Administração Pública e de Empresas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Mestrado em Administração pela Universidade de Syracuse, New York, USA; Mestrado em Auditoria e Gestão Ambiental pela Universidad de Leon, Madrid, Espanha; Professor Universitário; Consultor Organizacional. Ambientalista. Presidente do Instituto de Sustentabilidade e Resiliência.

E-mail: volneic@terra.com.br;

Facebook: http://facebook.com/volnei.alvescorrea;

twitter: @VACORREA41

Linkedin:  https://www.linkedin.com/in/volnei-alves-corrêa-a246093b?trk=nav_responsive_tab_profile

Linkedin:  https://www.linkedin.com/in/volnei-alves-corrêa-a246093b?trk=nav_responsive_tab_profile

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *